Museum Security Network

Museum theft. Roubo de obras raras no Museu Emilio Goeldi

Roubo de obras raras no Museu Emilio Goeldi

Coleção especial formada por quase duas mil publicações guardam quatro séculos de história natural e etnográfica das Américas e Amazônia.
Criminosos furtam da Biblioteca da instituição in-folios, livros e coleções raras.
Foram subtraídos 40 títulos do acervo.

Agência Museu Goeldi- Na última semana, uma descoberta desagradável deixou em estado de alerta a mais antiga instituição de pesquisa do norte do Brasil: o furto de 40 títulos (65 exemplares) da Coleção de Obras Raras da Biblioteca Domingos Soares Ferreira Penna, localizada no Campus de Pesquisa do Museu Goeldi, situado na Avenida Perimetral, em Belém (Pará). As publicações roubadas datam dos séculos XVII, XVIII e XIX e, dentre elas, destacam-se in-folios de Des Murs, Hernandez, Meriaen, Mikan, Piso, Pohl, Sagra, Spix e Wied-Neuwied. Segundo o diretor em exercício do Goeldi, Nelson Sanjad, “O valor monetário calculado para o in-folios roubados de US$ 200 mil.”

Dentre as obras roubadas do Museu Goeldi, está uma reedição póstuma de “Metamorphosis Insectorum Surinamensium”, de Maria Sybilla Meriaen, publicada em 1730, em Amsterdã, na língua holandesa. Veja imagens da obra no http://www.museu-goeldi.br/informacaocientifica/exposicao.htm A obra foi escrita em 1705 e, na sua folha de rosto, lê-se “Onde as lagartas e vermes do Suriname, com todas suas transformações, são representados e descritos como em vida, sendo cada um colocado sobre as mesmas plantas, flores e frutas onde foram encontrados”.

Furto – O Museu Goeldi descobriu o furto durante um treinamento para manuseio e curadoria das coleções no último dia 17 de dezembro, ao final do expediente. Imediatamente foram comunicadas a chefia do setor, a Diretoria do MPEG e o plantão da Policia Federal.

No dia seguinte, três delegados da Policia Federal iniciaram a investigação do caso, com a instauração de inquérito policial, no qual servidores, funcionários, bolsistas e terceirizados do Museu deverão participar.
As medidas que foram tomadas, para a melhor apuração do caso, foram o fechamento da Biblioteca ao público e servidores por tempo indeterminado, a abertura de sindicância interna, além da notificação aos órgãos competentes que atuam no combate ao comércio ilegal de obras raras.

Biblioteca Ferreira Penna – Especializada em Antropologia, Arqueologia, Botânica, Ciências da Terra, Ecologia, Lingüística, Zoologia e assuntos amazônicos, a Biblioteca Domingos Soares Ferreira Penna integra a Coordenação de Informação e Documentação (CID), do MPEG, cujo embrião é a biblioteca especializada em História Natural, Geografia, Etnologia e Arqueologia, idealizada por Domingos Soares Ferreira Penna e concretizada, em 1894, por Emílio Goeldi.

A Coleção Especial, de onde foram subtraídas as edições, conta quinhentos anos de história e apresenta livros raros e valiosos – o mais antigo corresponde ao século XVI -, de grande importância não só para a Amazônia, mas também para a América Central, América do Sul e, em especial, para o Brasil. Os procedimentos de compra, doação e permuta possibilitaram a reunião do precioso acervo da Biblioteca Domingos Soares Ferreira Penna, composto também por periódicos, folhetos, separatas, mapas, CDs, fotografias, filmes, fitas e microfilmes.

Há 142 anos, o Museu Paraense Emilio Goeldi –MPEG/ MCT produz, organiza e difunde conhecimentos e acervos sobre os sistemas naturais e socioculturais da Amazônia, o que lhe rendeu reconhecimento e prestígio na comunidade científica nacional e internacional. Entre suas coleções brilhava de forma discreta, até agora, um acervo composto por duas mil obras raras que focalizam a natureza e as culturas das Américas Central e do Sul, com ênfase no Brasil e na Amazônia.

Informações – Além da ampliação imediata do sistema de vigilância e guarda dos acervos institucionais, e da atualização do inventário do acervo, o Museu Goeldi solicita ajuda no resgate desse patrimônio nacional. Informações sobre as obras roubadas, que apresentam uma marca d’água da instituição, devem ser encaminhadas à Polícia Federal, telefone (91) 3214-8014 ou para o Museu Goeldi, (91) 3274-1811.

Agência Museu Goeldi

http://www.museu-goeldi.br/sobre/NOTICIAS/obras_furtadas_d.html

Leave a Reply

%d bloggers like this: